O comprar compulsivo

Nos atuais modelos, o comprar ( seja o que for) é um dos pilares para manter toda nossa economia funcionando ( e muitas vezes nossas vidas também).

Existem uma série de coisas que não temos como fugir de comprar, tais como comida, vestuários, objetos de uso pessoal e para manter nossa higiene, porém não só de necessidades básicas que nos focamos em comprar. Nós também compramos objetos para nosso lazer, cultura e praticidade do nosso dia a dia.

Todos nós sabemos razoavelmente o que é necessário para nossa sobrevivência, para nosso lazer, aumentar nossa cultura , praticidade e o que é supérfluo, mas que em certos momentos nos damos o prazer de consumir.

Nosso processo volitivo ( ou seja, nossa forma de decidir algo) segue basicamente o seguinte esquema:

PROPÓSITO → DELIBERAÇÃO → DECISÃO → AÇÃO

Quando falamos em comprar compulsivas esse processo volitivo entra em curto circuito e fica dessa forma:

 PROPÓSITO → AÇÃO

Aquele que compra compulsivamente não percebe que é inadequado na forma de comprar e pode até se preocupar um pouco antes de realizar a primeira compra ( do dia, da noite, da semana e etc) mas assim que passa a comprar ele deixa isso de lado para comprar apenas pelo prazer de comprar ( ele argumenta que precisa daquilo  para justificar o prazer da compra).

As consequências disso chegam rapidamente, pois o individuo começa a acumular uma série de objetos que não precisa, passa a ter problemas financeiros e se coloca em dividas, chegando ao ponto de contrair novas para pagar a antiga ( tem cartões de crédito para cobrir  outros, empréstimos bancários e em casos extremos passa a procurar agiotas ou outros para ter dinheiro rápido).

Quando para e olha a sua volta, se percebe cheio de objetos desnecessários, muitos deles ainda em suas embalagens, lotado de dividas e quase sem aquilo que realmente precisa para o seu dia a dia.

O que fazer quando me perceber assim?

Quando se trata de comprar compulsivamente há duas frentes importantes que devem ser atacadas para uma melhora: saúde financeira e saúde emocional/comportamental.

  Dicas financeiras:

  • Mantenha um controle financeiro, ou seja um caixa, sabendo exatamente o que entra e sai de dinheiro durante seu dia, semana e mês.
  • Não tenha cartões de crédito
  • Caso não seja possível abolir os cartões de crédito, tenha apenas um, e com limite baixo.
  • Não contraia dívidas para pagar novas dividas.

    Dicas emocionais e comportamentais:

  • Pratique o auto monitoramento, ou seja passe a perceber momentos que você compra mais e o que está acontecendo externa e internamente.
  • Não vá a grandes centros de compras, eles foram feitos para estimular o consumo desenfreado.
  • Procure uma ajuda com um profissional da psicologia, pois muitas vezes percebemos que o comprar além de um grande problema, pode estar encobrindo outros que assim que descobertos podem se tornar uma bola de neve.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s