Chegou a aposentadoria! E agora?

Aposentadoria, momento que todo trabalhador um dia, mais cedo ou mais tarde, irá chegar e terá que enfrentar. Grande parte de nós almeja uma situação tranquila, podendo finalmente descansar de décadas de trabalho e desfrutar de tudo aquilo que juntou financeiramente.

Assistir televisão e viajar muito, a grande maioria sonha, porém de fato estamos nos preparando para esse momento?

A população brasileira está cada vez vivendo mais tempo, e nossa expectativa de vida hoje beira os 75 anos. Nosso contingente de idosos em pouco tempo será maior que o de crianças e adolescentes.

Trabalhar é muito mais que apenas trocar sua força de trabalho por pagamento, cada um de nós tem uma relação especial com seu emprego e envolve diversos fatores.

Nos tornamos aquilo que fazemos, afinal o Rodrigo é primeiramente o Rodrigo Psicólogo, e a pergunta “ O que faz da vida?” é uma das primeiras a serem feitas ao se conhecer alguém.

Se torna uma parte tão importante de quem somos que ao se aposentar nos tornamos, Rodrigo, psicólogo aposentado, mas jamais nos tornamos alguém desvinculados ao que um dia trabalhamos.

Uma noção de identidade se torna tão forte, que muitos carregam para sua vida pessoal pronomes de tratamento exclusivos da profissão ( visto os Doutores da vida) e se ver repentinamente sem isso pode ser algo tão chocante que ninguém esta de fato preparado.

Outro ponto que não podemos ignorar das relações de trabalho , é o ciclo social que acaba se formando por isso. Amigos do trabalho, chefes e subordinados, devido ao grande período que se passa em ambientes de trabalho, concentra-se em muitas vezes os poucos contatos sociais além da família, isso quando não se tornam os únicos contatos sociais.

Aposentar-se acaba sendo um rompimento com ciclos sociais inesperados, pois não mais compartilha situações cotidianas, tornando o indivíduo alheio a assuntos comuns e impedindo assim a sua socialização.

Não podemos esquecer o impacto financeiro que a aposentadoria trás, pois é de conhecimento geral que infelizmente o nosso sistema previdenciário beira o colapso e grande parte dos trabalhadores se aposenta com valores muito abaixo do salário que recebia quando ativo, gerando assim um misto de emoções de quem trabalhou tanto e se vê recebendo valores irrisórios.

Quem eu sou? Qual minha função na vida agora que não trabalho? Que amigos tenho? Com quem irei sair? Como vou manter o meu padrão de vida? E as viagens que não fiz a vida toda , como fazer agora que me aposentei e não tenho mais renda? Estou ficando doente? Como pagar médicos e tratamentos? Como remédios são caros!

Aposentar muitas vezes é algo muito complicado, mas e agora?

Algumas empresas já tem implementado programas de aposentadoria progressiva, onde meses antes de ocorrer a aposentadoria definitiva é feito uma dessensibilização progressiva do trabalhador, onde ele passa a reduzir sua jornada de trabalho e dias que vai trabalhar até não mais ir.

Outro investimento das empresas é a implementação de um plano de previdência privada, onde possa proporcionar um melhor rendimento financeiro aquele que trabalha.

Para aqueles que não trabalham em empresas que adotam essas praticas, ou que são trabalhadores de outras áreas que não contemplam essas possibilidades, deve se proporcionar um questionamento sobre a aposentadoria e as relações do individuo com o trabalho.

Trabalhar significa identidade, ciclo social, qualidade de vida, rendimentos financeiros, entre outros.

Você já parou para pensar sobre aposentadoria?